Ana Mello - escritora - contos, minicontos, poesia, Tira Bacana, Veredas, quadrinhos, haicai - Porto Alegre, Cachoeirinha, Rio Grande do Sul, RS

Textos

Namore, não fique

Hoje eu vou fazer propaganda do namoro. Namorar é muito melhor do que ficar simplesmente.
Já sei, você está pensando que eu já passei dos quarenta e nem sei o que é ficar. Bobagem, tem muito quarentão que fica, e além do mais é só pesquisar, falar com as pessoas, para saber o que é que está rolando.
Em primeiro lugar não vá na conversa dos que dizem que namorar está fora de moda, a moda é a gente que faz. Também não se curve às pressões da turma. Eles querem que você fique, dizem que todo mundo já ficou, mas isso nem sempre é verdade. É natural do ser humano ralar com o próximo. Quando estamos solteiros todos querem nos casar, dizem que é melhor. Depois pressionam para que venha o primeiro filho. Aí filho único é ruim, precisamos ter outros. Resumindo, é tudo conversa, cada um sabe o que é melhor para si.
Exatamente, eu estou só defendendo o namoro, mas a decisão é toda sua. Pondere, aprecie.
Ficar não tem compromisso, mas compromisso é tudo. Mostra responsabilidade, comprometimento, personalidade. Não ter limites ou regras é superficial. Pode ter intimidade sexual mas não tem nenhuma intimidade emocional.
Namorar é ter um parceiro que goste de você, que divida suas ansiedades e segredos, que tenha opiniões para compartilhar.
Tem a expectativa de durar para sempre, de virar casamento, ser eterno. Ou pelo menos tem a graça do querer, do futuro.
Ficar não tem futuro, está fadado a acabar.
Qual a graça de beijar um monte de gente em uma festa? Será que isso acrescenta alguma coisa além de bactérias? Beijar é fácil de aprender, não precisa faculdade. Beijar com amor, com vontade, com desejo de dias só de paquera, é muito melhor.
E o dia dos namorados? É uma delícia. Casais por aí trocando abraços, beijos, presentes. Mandando torpedos, escrevendo coisas melosas. É um dia programado para o amor.
Namoro pode ser para sempre, mesmo depois de casados nós podemos namorar, mandar mensagens, fazer poesia.
Os ficantes não sabem quase nada um do outro. Não sabem a música preferida, não conhecem a família, nem as manias, qualidades e defeitos.
E dia dos ficantes? Tem?
Percebeu? Namorar é muito melhor.

Ana Mello
21/09/2012

 

 

Histórias da Clarinha

Verbetrix

Ana, Babá de bichos

Para onde vão os objetos perdidos?

Minicontando

Perseu/Medusa

Tira Bacana
livro online gratuito

Capa | Quem Sou | Livros | Palestras e Oficinas | Destaques | Prêmios | Blogs e Colunas | Mural de Recados | Contato