Ana Mello - escritora - contos, minicontos, poesia, Tira Bacana, Veredas, quadrinhos, haicai - Porto Alegre, Cachoeirinha, Rio Grande do Sul, RS

Destaques

Vote no Patrono da Feira do Livro de POA

Ana Mello

Após apresentar a lista de patronáveis da 57ª Feira do Livro de Porto Alegre, a segunda etapa divulgada pela Câmara Rio-Grandense do Livro (CRL), é a votação aberta ao público. . As livrarias associadas à entidade abrirão seu voto para que seus clientes os ajudem nesta decisão. São 29 urnas espalhadas em livrarias de Porto Alegre e Região Metropolitana. Clique aqui e saiba onde elas estão localizadas. A votação será realizada até o dia 10 de setembro.

Luiz Coronel, Jane Tutikian, Airton Ortiz e Celso Gutfreind

Crédito: Rômulo Valente

 

Airton Ortiz

O jornalista e escritor Airton Ortiz nasceu no interior do município de Rio Pardo. Fundou e dirigiu o Jornal Tchê! e a Editora Tchê!, especializada na publicação de autores gaúchos. Em 1997, fechou a editora para se dedicar com exclusividade ao jornalismo, escrevendo livros e reportagens sobre suas viagens pelo mundo. Como jornalista já ganhou o prêmio ARI de Jornalismo e foi finalista do Prêmio Esso de Jornalismo. Seus livros também já ganharam diversos prêmios, constando com frequência na lista dos mais vendidos da Feira do Livro de Porto Alegre.

Trabalha como free lancer para os principais veículos de comunicação do Brasil. Foi Patronável da Feira do Livro de Porto Alegre em 2004, 2006, 2007, 2009 e 2010, além de Patrono de 10 feiras do livro no interior do RS, e da Biblioteca Airton Ortiz.

Entre suas obras estão: livros da Coleção Viagens Radicais (Reportagens de aventura), como o Expresso para a Índia, 2003. – Prêmio Euclides da Cunha, da União Brasileira de Escritores, Travessia da Amazônia., 2004. - Prêmio Livro do Ano da Associação Gaúcha de Escritores, de melhor livro de não-ficção. Vietnã Pós-Guerra, 2009. Coleção Aventura (Romance); com Cartas do Everst, 2008; Coleção Imagens (Fotografias), com Retratos da Terra, 2009 ; Coleção Jabuti Aventura (ficção infanto-juvenil); com Aqui há um longe imenso, 2010; Coleção Jabuti Aventura (ficção infanto-juvenil); com Havana, 2010 e Jerusalém, 2011.

Luiz Coronel

Nascido em Bagé, chega a Porto Alegre ainda nos anos 1960. Começou sua carreira como professor de História e Literatura nos cursos de pré-vestibular. Formou-se em Direito e Ciências Sociais pela UFRGS e têm cerca de 50 livros escritos e publicados. Como publicitário, suas campanhas são marcadas pelo conteúdo poético e pela construção da imagem de seus clientes através do apoio às atividades culturais. Publica semanalmente seus poemas e causos regionais na imprensa gaúcha.

Compositor, juntamente com Marco Aurélio Vasconcelos, criou clássicos da música regional. Recebeu diversos prêmios e distinções, entre eles: Membro da Academia Rio-Grandense de Letras, cadeira 26 (1999); Prêmio Revista Plural, obra Ave Fauna (1992); Medalha Farroupilha e Cidade de Porto Alegre, 2009 e Prêmio Especial, Paixão pela Cultura (2011).

Entre suas obras estão: Mundaréu (poesia), 1978; Baile de Máscaras (poesia), 1991 e O Legado das Missões (poesia e ensaio), 2000. Publicou oito obras sobre A Comédia Gaúcha – Trilogia do humor pampeano, entre 2002 e 2007, além de diversos dicionários sobre autores como: Erico Verissimo; Mario Quintana e Guimarães Rosa; entre suas mais recentes obras estão: Quirelas e cintilações (poesias), 2010 e Dicionário Fernando Pessoa – Muitos poetas em um só poeta (em edição 2011).

Celso Gutfreind

O médico e escritor Celso Gutfreind nasceu em Porto Alegre. Tem 26 livros publicados, entre poemas, contos infanto-juvenis e ensaios sobre humanidades e psicanálise. Participou de diversas antologias no Brasil e no exterior e foi traduzido para o francês, inglês e espanhol.
Ganhou vários prêmios por suas obras, entre os quais se destacam Açorianos 93 (pelo livro de poemas Arte de Rua) e Livro do Ano, da Associação Gaúcha de Escritores em 2002 (por Fera Domada) e 2007 (por A Almofada que não dava tchau). Foi escritor convidado da Ledig House (residência internacional de escritores), em Omi (EUA), em 1996.

Entre suas últimas obras estão: Domingo para sempre & outras histórias sobre nunca, É Fogo (ambas de contos infantis) e A Dança e o Verbo – narrativas e poemas para pais e professores, todos de 2011.

Jane Tutikian

A professora Jane Tutikian nasceu em Porto Alegre, onde reside atualmente. Pós-doutora em Literatura, é professora de Literatura e Diretora do Instituto de Letras da UFRGS. Seu primeiro livro é Batalha Naval, publicado em 1981. Jane é membro da Academia Rio-Grandense de Letras e tem participação em dezenas de antologias e livros organizados e traduzidos para o inglês e o espanhol.

Entre os muitos prêmios que recebeu, de 1978 até 2010, estão: Prêmio APESUL – RS, 1978; Prêmio Alfredo Machado Quintella; 1982; Prêmio Jabuti, 1984; Prêmio Érico Veríssimo, 1987; Prêmio Gralha Azul de Literatura, 1990; Prêmio Açorianos, 2001; Prêmio Alejandro Jose Cabassa, 2002; Prêmio Livro do Ano, em 2003, 2004 e 2010 e Prêmio O Sul, 2004 e 2007.

Entre suas obras estão: Contos: Pessoas, 1987; O Sentido das Estações, 1999; A rua dos secretos amores., 2002 e Entre Mulheres, 2005. Novela: Geração Traída, 1990. Infanto-juvenis: A Cor do Azul, 1984, e Ilustração: Rosarlette Meirelles - Um Time Muito Especial, 1993; Rose Gaiewski - Aconteceu também, 2002; Marcela Cristina de Souza- J.F. e a conquista de Niu Ei, 2003; Olhos azuis coração vermelho, 2005;. Por que não agora, 2010. Em Ensaios estão: Inquietos Olhares, 1999, e Velhas identidades novas, 2006.

José Clemente Pozenato

Natural de São Francisco de Paula, é doutor em Letras pela PUCRS. Fixou-se em Caxias do Sul aos 12 anos e iniciou a carreira literária em 1967, participando da coletânea de poesia Matrícula. Em 1974 publicou o ensaio O regional e o universal na literatura gaúcha, premiado pelo Instituto Estadual do Livro do Rio Grande do Sul.

Como ficcionista, publicou em 1985 a novela policial O caso do martelo, adaptada para a televisão e traduzido para o espanhol e italiano. No mesmo ano, lança o romance O quatrilho, uma narrativa centrada na primeira geração de filhos de imigrantes italianos no Sul do Brasil, levado ao cinema pelo cineasta Fábio Barreto e concorrente ao Oscar de melhor filme estrangeiro em 1996. Em 1989, lança o romance A cocanha, que tem como tema os primórdios da colonização italiana na serra gaúcha, saga inicial dos personagens de O quatrilho. Em 2006, publica A babilônia, que encerra a trilogia da imigração italiana. Autor também de poesia, contos, ensaios e artigos, recebeu o título de cidadão caxiense em 1991 e foi eleito Personalidade do Livro, pela Câmara Rio-Grandense do Livro, em 1995.

É membro da Academia Sul-Brasileira de Letras e da Academia Rio-Grandense de Letras, ocupando a cadeira 34. 

 

Fonte: Coletiva.net

Histórias da Clarinha

Verbetrix

Ana, Babá de bichos

Para onde vão os objetos perdidos?

Minicontando

Perseu/Medusa

Tira Bacana
livro online gratuito

Capa | Quem Sou | Livros | Palestras e Oficinas | Destaques | Prêmios | Blogs e Colunas | Mural de Recados | Contato